quinta-feira, 30 de março de 2023

Professora que imobilizou aluno em escola fala pela 1ª vez

'É uma confusão de sentimentos', diz professora que imobilizou agressor para salvar vítima de ataque em escola de SP

Cinthia Barbosa, a professora de Educação Física que imobilizou o adolescente de 13 anos que cometeu o ataque na Escola Estadual Thomázia Montoro, de São Paulo, foi abordada pela imprensa ao chegar ao enterro de sua colega morta no ataque, a professora de Ciências, Elisabete Tenreiro, de 71 anos. Cinthia disse que suas emoções estavam “bem afloradas”.

– Difícil falar neste momento. As emoções estão bem afloradas. Vou expressar tudo que eu estou sentindo ali dentro [na capela onde o corpo foi velado] – declarou.

– Ela era uma querida amiga. Vou encontrar com os meus colegas. Estamos bastante comovidos. É uma confusão de sentimentos. Quero passar energia para os meus colegas, para a família e para toda a comunidade internacional escolar – continuou.

Dentro do local, ao lado do caixão, a professora de Educação Física se emocionava a cada um dos alunos que iam abraçá-la.

– Obrigada por ter vindo prestar homenagem para a professora Bete – dizia Cíntia.

Logo em seguida, era novamente cumprimentada por professores e pais de alunos.

– Obrigado por ter evitado algo ainda pior com tanta criança – disse um pai.

Com a voz embargada, a educadora mal respondia: “É verdade…, obrigada…”.

O corpo da professora Elisabete foi velado na capela do Cemitério do Araçá, na Zona Oeste de São Paulo, com a presença de centenas de pessoas.
Câmeras de segurança da unidade registraram o momento em que Cinthia contém o agressor para salvar outra vítima. Na sequência, uma outra educadora retira a faca das mãos do estudante.

Foto: Reprodução/TV Globo