sexta-feira, 22 de setembro de 2023

Em meio a luto por Walewska, Seleção feminina é superada pela Turquia no Pré-Olímpico

Em meio a luto por Walewska, Seleção feminina é superada pela Turquia no Pré-Olímpico

Numa sexta-feira (22.09) que começou triste para o esporte brasileiro com o falecimento da campeã olímpica Walewska, a seleção feminina foi superada pela Turquia por 3 sets a 0 (21/25, 27/29 e 19/25), pelo Pré-Olímpico, em Tóquio, no Japão. As brasileiras entraram em quadra com braçadeiras em homenagem à central. A ponteira Gabi foi a maior pontuadora do confronto entre as brasileiras, com 14 pontos. O Brasil volta à quadra às 4h (horário de Brasília) deste sábado contra a Bélgica. A TV Globo e sportv 2 transmitem ao vivo.

No Pré-Olímpico, o Brasil está no grupo B ao lado de Argentina, Peru, Bulgária, Porto Rico, Turquia, Bélgica e Japão. As equipes jogam entre si e as duas mais bem classificadas garantem um lugar nos Jogos de Tóquio. Depois das cinco primeiras rodadas, as brasileiras aparecem na terceira colocação, com 11 pontos (quatro vitórias e um resultado negativo). O Japão lidera, com 15 pontos, seguido pela Turquia, que também tem 15, mas um saldo de sets pior do que as japonesas.

Gabi, ponteira, marcou 14 pontos de ataque – “A Wal foi um exemplo de coragem, de resiliência, uma mulher forte. Ela fez parte de uma geração que me fez querer ser jogadora de vôlei. Estivemos com ela há pouco tempo em Barueri e, mais uma vez, ela deixou uma mensagem de incentivo muito forte. Queremos continuar esse legado que ela deixou para nós”.

Thaisa, central, fez oito pontos (seis de ataque, um de saque e um de bloqueio) – “Está doendo muito. Sabíamos que tínhamos que disputar esse jogo, nos juntamos e deixamos para chorar depois da partida. Foi difícil conter as lágrimas na nossa oração de pré-jogo. Temos mais dois jogos importantes para a classificação e hoje deixamos a desejar em algumas situações. Agora vamos sentir esse luto. Quando cheguei na seleção a Wal era uma das mais experientes. Aprendi muito com a postura dela. A Wal foi um espelho pela educação, o charme e a resiliência. Ela representou o Brasil lindamente. O esporte perde um grande ícone, uma representante de muito amor pelo voleibol.

José Roberto Guimarães, treinador do Brasil – “É um momento muito difícil, de muita tristeza. A Walewska foi um exemplo de dedicação, comprometimento, ela tinha tudo de bom que uma atleta pode ter. Ela sempre se cuidou muito, ajudou seus times, desde muito nova. Ficamos sem chão. Falando do jogo, a Turquia pressionou o nosso time e nosso saque precisava fazer mais a diferença. Agora temos que pensar na Bélgica e no Japão para buscar a nossa classificação. Temos que deixar passar esse momento triste. Eu conheci a Walewska e sei que se ela tivesse aqui ela pediria para jogarmos por ela. A Walewska deixa um legado como atleta e ser humano. Ela foi uma atleta que todo o treinador gostaria de ter no seu time”.

Foto: Divulgação/FIVB