quarta-feira, 25 de outubro de 2023

PAN SANTIAGO 2023: Brasil fecha natação com ouro de Cachorrão, uma prata e mais dois bronzes

 Brasil fecha natação no Pan Santiago 2023 com ouro de Cachorrão, uma prata e mais dois bronzes


Mais um ouro, meta batida e cabeça já em Paris. Guilherme Costa, o Cachorrão, terminou os Jogos Pan-americanos Santiago 2023 de maneira impecável e foi o nome da natação brasileira no evento. Nesta quarta-feira, 25 de outubro, último dia da modalidade no Centro Aquático do Estádio Nacional, de Santiago, o nadador conquistou a sua quarta medalha de ouro, desta vez nos 1.500m livre. O Brasil conquistou ainda mais uma medalha de prata, no revezamento 4x100m medley masculino, e outros dois bronzes, com Viviane Jungblut nos 1.500m livre, e Leonardo Coelho nos 200m medley.

Cachorrão venceu sem dificuldades a prova dos 1.500m livre com o tempo de 15’09’’29. “Saí desde o início querendo controlar a prova. Quanto mais sob controle estivesse, mais fácil seria. Achei mais fácil do que o 800m e os 400m. No final, tive que subir bem o ritmo, porque o americano sabia que eu ia forçar. Então, eu fui com ele. Tinha muito tempo que eu não nadava a prova de hoje, mas acabou sendo natural. Foi melhor do que eu imaginava”.

Anteriormente, ele já havia vencido todas as outras três provas que disputou em Santiago: ouro nos 400m livre, nos 800m livre e no revezamento 4x100m livre. “Queria muito esses quatro ouros. Consegui seguir etapa a etapa e alcancei meu objetivo. Agora, tenho o Finkel logo que a gente voltar, depois descanso uns dez dias, e aí volto e treino direto até os Jogos Olímpicos.”

A medalha de prata, no revezamento 4x100m medley masculino, veio após um desempenho espetacular de Guilherme Caribé. “É minha segunda vez nadando para 46s. Nadei a parcial do Mundial, então estou muito feliz, fecho a competição com chave de ouro”, comemorou Caribé, que já havia conquistado três medalhas de ouro em Santiago. A equipe do 4x100m medley foi composta, além de Caribé, por Guilherme Basseto, João Gomes Júnior e Vinícius Lanza.


Viviane Jungblut, levou o bronze nos 1.500m livre com a marca de 16’19’’89. "Estou bem feliz com essa medalha. O tempo ficou um pouquinho aquém do que eu esperava, ainda mais sabendo que, com o tempo que tínhamos, era possível ganhar a prova, mas é isso, nadei 800m e 1.500m, peguei medalha nas duas, era um dos meus objetivos e estou bem feliz", disse.

O outro bronze veio com Leonardo Coelho, com o tempo de 2’00’’58. “Fico feliz pelo resultado, pela medalha de bronze para o Brasil. É a minha quarta em Jogos Pan-americanos. Para ser sincero, acho que errei um pouco na virada do costas para o peito, o que comprometeu um pouco o meu nado nos primeiros 25 metros. E depois virei mais lento para o crawl. Fiquei um pouco doente nos últimos dois dias, mas a gente dá a raça pelo Brasil e consegui sair com o bronze”.

O Brasil fechou a natação nos Jogos Santiago 2023 com 25 medalhas: sete de ouro, sete de prata e 11 de bronze.

Fotos: Satiro Sodré/CBDA