sexta-feira, 21 de julho de 2023

Quarteto brasileiro estreia na Copa do Mundo Feminina

Quarteto brasileiro estreia na Copa do Mundo Feminina

O quarteto brasileiro estreou nesta quinta-feira (20) na Copa do Mundo Feminina FIFA 2023 Austrália e Nova Zelândia. Edina Alves (SP-FIFA) foi a árbitra na abertura do Mundial na Austrália. Ela atuou na vitória das donas da casa sobre a Irlanda, por 1 a 0, no Sydney Football Stadium.

Neuza Back (SP-FIFA) e Leila Cruz (GO-FIFA) foram as assistentes, enquanto Daiane Muniz (SP-FIFA) foi a responsável pelo VAR.

O presidente das Comissão de Arbitragem, Wilson Seneme, ressaltou a boa atuação das profissionais e a importância de representarem a arbitragem do Brasil.

"Esse excelente primeiro passo que elas deram em um torneio importante é o que garante uma boa sequência na Copa do Mundo. A gente espera que elas tenham uma segunda oportunidade, já que tiveram um ótimo desempenho e que a partir disso possam aproveitar e representar bem a nossa arbitragem brasileira", disse.

Primeira mulher membro da Comissão de Arbitragem da CBF e responsável pela arbitragem feminina, Regildênia de Holanda Moura classificou o desempenho do quarteto na partida como positivo.

"A atuação da equipe foi muito boa, uma excelente estreia na Copa do Mundo, era o que nós esperávamos. Edina esteve em cima dos lances. O pênalti foi marcado em campo, e ela estava bem posicionada, com um bom ângulo de visão. Não precisou da árbitra de vídeo, porque todas as decisões de campo foram boas. A Daiane só precisou confirmar as decisões de campo", elogiou.

Esta foi a segunda partida da competição. Antes, a Nova Zelândia venceu a Noruega, por 1 a 0, em Auckland. A Seleção Brasileira estreia no dia 24, às 8h (de Brasília), contra o Panamá.

Edina está na sua 2ª Copa do Mundo. Ela participou da Copa do Mundo da França, em 2019.

No total, são 33 árbitras e 55 auxiliares mulheres. Os árbitros homens ficarão apenas no VAR. Esta será a primeira vez que uma Copa do Mundo terá mulheres como árbitras de vídeo.

Foto: Maddie Meyer/FIFA