quinta-feira, 13 de julho de 2023

Seleção feminina é superada pela China nas quartas de final da Liga das Nações 2023

Seleção feminina é superada pela China nas quartas de final da Liga das Nações 2023

A seleção feminina encerrou a participação na Liga das Nações 2023 nas quartas de final. Nesta quinta-feira (13.07), o Brasil foi superado pelas China por 3 sets a 1 (21/25, 20/25, 25/20 e 23/25), em Arlington, nos Estados Unidos. A central Thaisa foi a maior pontuadora da partida, com 18 pontos. Com o resultado, a equipe do treinador José Roberto Guimarães terminou a competição com oito vitórias em 13 jogos. O próximo desafio das brasileiras é o Campeonato Sul-Americano que será disputado em Recife entre os dias 19 e 23 de agosto.


Gabi, capitã e ponteira, marcou 16 pontos (14 de ataque, um de bloqueio e um de saque): “Ainda estamos um pouco abaixo do nível que buscamos. A China fez uma grande partida e conseguiu nos anular em alguns momentos. Sabemos que precisamos trabalhar ainda mais e vamos voltar mais fortes. Eu, particularmente, tive altos e baixos e preciso melhorar muito. Temos potencial e uma margem de crescimento muito grande. De positivo na partida de hoje, não desistimos em nenhum momento, fomos buscar o placar nos dois últimos sets”.

Tainara, oposta, entrou durante a partida e fez 13 pontos (10 de ataque, um de bloqueio e dois de saque): “Tenho muito orgulho de representar o Brasil ainda mais em uma fase final da Liga das Nações. Infelizmente não conseguimos a vitória contra a China. Não fomos agressivas desde o começo da partida. Estamos tristes, mas isso tudo é crescimento. Tive momentos bons e outros ruins na partida, mas vou usar esse jogo como aprendizado. Temos um grande objetivo nesse ano que é o Pré-Olímpico e vamos trabalhar muito para chegarmos muito bem nessa competição”.

José Roberto Guimarães, treinador do Brasil: “Primeiro tenho que agradecer a torcida que veio nos prestigiar nos Estados Unidos. Fizemos um bom terceiro e quarto sets e não jogamos bem o primeiro e o segundo. Ainda temos que ser mais agressivos no saque e a relação entre o bloqueio e a defesa precisa melhorar. Quando conseguimos contra-atacar melhor, o jogo foi outro. Fica a sensação de que podíamos mais. Para jogar como um time como a China que bloqueou melhor e deu poucos pontos de graça, não podemos desperdiçar chances. Esse parâmetro que tivemos aqui é importante para entendermos o que precisamos para atingir os nossos objetivos”.

O Brasil começou com Macris, Kisy, Gabi, Maiara Basso, Thaisa e Carol. Líbero: Natinha
Entraram: Julia Bergmann, Roberta, Tainara, Diana,

Nagoya (Japão)

31/05 – Brasil 2 x 3 China (23/25, 25/22, 20/25, 25/20 e 12/15)
01/06 – Brasil 3 x 0 Holanda (25/23, 25/23 e 25/21)
03/06 – Brasil 3 x 1 República Dominicana (27/25, 20/25, 25/21 e 27/25)
04/06 – Brasil 3 x 0 Croácia (26/24, 25/18 e 25/8).

Brasília (Brasil)

14/06 – Brasil 3 x 0 Coréia do Sul (31/29, 25/16 e 25/16)
15/06 – Brasil 3 x 2 Sérvia (23/25, 25/22, 21/25, 25/12 e 15/6)
17/06 – Brasil 3 x 1 Alemanha (25/22, 25/18, 22/25 e 25/17)
18/06 – Brasil 0 x 3 Estados Unidos (22/25, 19/25 e 22/25)

Bangcoc (Tailândia)

28/06 – Brasil 3 x 2 Itália – (26/28, 25/20, 19/25, 25/21 e 15/10)
29/06 – Brasil 2 x 3 Canadá – (30/28, 22/25, 23/25, 25/21 e 15/17)
30/06 – Brasil 0 x 3 Turquia – (22/25, 16/25 e 22/25)
02/07 – Brasil 3 x 0 Tailândia – (25/20, 25/16 e 25/23)

Fase Final – Arlington (EUA)

13/07 – Brasil 1 x 3 China – (21/25, 20/25, 25/20 e 23/25)

Foto: Divulgação/FIVB