domingo, 27 de agosto de 2023

Seleção masculina sub-17 derrota a Argentina e conquista o título do Sul-Americano de vôlei 2023 de forma invicta

Seleção masculina sub-17 derrota a Argentina e conquista o título do Sul-Americano de vôlei 2023 de forma invicta

Título inédito e em casa! O primeiro campeonato Sul-Americano sub-17 masculino terminou com a seleção brasileira campeã invicta. Na tarde deste domingo (27.8), a equipe comandada pelo técnico Marcelo Zenni superou a Argentina por 3 sets a 0 (25/20, 25/22 e 27/25) pela última rodada da competição em Araguari (MG). O Brasil fecha a competição com quatro vitórias em quatro jogos, sem nenhum set perdido.

O pódio teve Brasil no topo, a Argentina com a prata e o Chile com o bronze. As três equipes também se classificaram para o Mundial sub-17 masculino em 2024.

No confronto que definiu o título o ponteiro/oposto Lucas foi o maior pontuador com 23 acertos (21 de ataque e dois de bloqueio), ele também foi eleito o melhor jogador da partida e o MVP da competição. O central Théo, o ponteiro Miguel Senes, o levantador Caio e o líbero Bruno integraram a seleção do campeonato.

Marcelo Zenni, técnico da seleção masculina sub-17: “É muito bom ver os atletas felizes, comemorando. Não foi um campeonato fácil, apesar de não termos perdido nenhum set. A partida contra a Argentina foi duríssima. Agradeço a todo o suporte dado pela Confederação Brasileira de Voleibol para treinarmos e nos prepararmos conforme o que foi planejado. Agora é hora de comemorar, mas logo já iniciaremos o planejamento para o ano que vem”.

Lucas, ponteiro/oposto, maior pontuador do duelo com 23 pontos (21 de ataque e dois de bloqueio): “Era tudo que eu queria. Ser campeão ao lado desse grupo é muito bom. Tivemos muito trabalho duro e conseguimos colocar toda esta dedicação dentro de quadra”.

Miguel Senes, ponteiro da seleção do campeonato, nove pontos no jogo (oito de ataque e um de bloqueio): “Muita emoção, quando a bola caiu no último ponto foi uma loucura. As partes técnica e tática funcionaram. Também tivemos muita raça para jogar e isso foi um fator importante”.

Théo, central, 13 pontos no jogo (nove de ataque e quatro de bloqueio) e seleção do campeonato: “Fiquei muito lisonjeado com o prêmio individual, mas o importante é termos conseguido nossos objetivos como grupo. Fizemos partidas contra os argentinos durante nossa preparação e isso foi importante para tirarmos lições que fizeram efeito aqui no Sul-Americano”.

Bruno, líbero, capitão da seleção brasileira e melhor líbero do Sul-Americano: “Eu sonhei com este momento. Apesar do prêmio individual eu não conseguiria sem o apoio de todo o time. Fizemos um campeonato muito bom, sem perder nenhum set, o que mostra a força deste grupo”.

A seleção masculina sub-17 disputa o Sul-Americano em Araguari com o oposto João Pedro Limeira; o oposto/central Théo Schrank; os levantadores Caio e Lucas Vinícius; os centrais Eliab, Emanuel e Victor Porto; os ponteiros Cauã, Geilson, Lucas, Miguel Senes e Nicolas; e os líberos Bruno e Kayo.

A comissão técnica é formada pelo treinador Marcelo Zenni, o chefe de delegação Leandro Alves de Carvalho, a assistente técnica Patrícia Cremasco, o assistente técnico Hugo Vieira, o preparador físico Filipe Costa, o analista de desempenho Gustavo Primo e o fisioterapeuta Alexandre Gil.

Foto: Bruno Cunha/CSV