quinta-feira, 26 de outubro de 2023

PAN SANTIAGO 2023: Felipe Wu conquista o bronze no tiro esportivo

 Felipe Wu conquista o bronze no tiro esportivo em Santiago 2023

O Brasil conquistou uma medalha no tiro esportivo dos Jogos Pan-americanos Santiago 2023. Na prova da pistola de ar 10m, depois de muita emoção e uma superação para chegar ao pódio, Felipe Wu garantiu o bronze. Por pouco ele não teve a companhia de outro brasileiro na zona de medalha: Philipe Chateaubrian terminou na quarta colocação.

Essa foi a segunda medalha de Felipe Wu na prova da pistola de ar 10m, uma vez que ele havia conquistado o ouro nos Jogos Pan-americanos Toronto 2015. Desta vez, em Santiago 2023, o medalhista de prata nos Jogos do Rio 2016 teve que se superar para conquistar o bronze. No começo da prova, Felipe chegou a ocupar a quinta colocação, mas se recuperou e chegou na fase decisiva para faturar o bronze com 215.3 pontos. Ele só ficou atrás do canadense Tugrul Ozer, ouro e recorde pan-americano com 240.5 pontos, e o estadunidense James Hall, prata com 239.5 pontos.

“Na parte classificatória não comecei muito bem, mas fui melhorando o rendimento e consegui me classificar em terceiro lugar. Na final tive um desempenho satisfatório, apesar de ter tido um sofrimento ali. Mas acho que toda competição desse nível traz isso e também aquela força extra para superar os desafios. A final foi difícil no começo, o tiro não estava entrando, fiquei meio nervoso, mas consegui me concentrar e sair com essa medalha, o que é muito bacana”, analisou Wu.

O outro brasileiro na prova, Philipe Chateaubrian, ficou perto da zona de medalha. Ele iniciou bem a final e chegou até a liderar a prova, mas acabou terminando na quarta colocação, com 192.6 pontos. Philipe comentou o resultado e também falou sobre a classificação olímpica para Paris 2024, já que ele conquistou previamente a vaga para o Brasil (não nominal) e está na expectativa de manter os índices para ser efetivado como um dos representantes brasileiros nos Jogos do ano que vem.

“Abri a final bem. Existem momentos ali de mais pressão, mas tentei me concentrar na técnica para as coisas fluírem naturalmente. Nessa final são oito atletas e ficar em quarto sempre tem aquele gostinho de quero mais. Mas estou em constante evolução e espero continuar trabalhando para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos do ano que vem e conquistar o tão sonhado lugar no pódio”, finalizou Chateaubrian. 

Foto: Alexandre Loureiro/COB