quarta-feira, 25 de outubro de 2023

PAN SANTIAGO 2023: Lucas Verthein faz história e conquista o primeiro ouro individual do remo brasileiro

 Lucas Verthein faz história e conquista o primeiro ouro individual do remo brasileiro em Pans


O último dia de disputas do remo nos Jogos Pan-americanos 2023 reservou um momento histórico para o esporte nacional. Nesta quarta-feira, dia 25, Lucas Verthein conquistou a primeira medalha de ouro de um brasileiro em provas individuais no remo. O feito veio no single skiff. Esta também é a primeira medalha de ouro do remo brasileiro depois de 36 anos. A última havia sido em Indianápolis 87. Na mesma prova, no feminino, Beatriz Cardoso conquistou a medalha de prata. Assim, o remo nacional se despede dos Jogos Pan-americanos com dois pódios.

“Esse resultado representa tudo. É um marco na história do nosso remo brasileiro es o início de uma nova história. Só tenho que agradecer por estar vivendo esse momento e a todos que estiveram envolvidos nesta grande vitória. É um ouro histórico para o Brasil e agora eu quero mais. Quero a medalha olímpica e vou trabalhar muito por isso”, celebrou o campeão dos Jogos Pan-americanos, que analisou seu desempenho na final.

“Foi muito disputada. Sabia que meu principal adversário era o americano, que cresce muito no final da prova. Então, eu vim muito consciente da minha remada e deu tudo certo. Cheguei na zona vermelha cheio de energia para segurar os ataques dele e abrir a diferença para cruzar com o ouro para o nosso Brasil”, disse Lucas, que fechou a prova com o tempo de 6 min78s6. A medalha de prata ficou com James Plihal, dos Estados Unidos, e o bronze com Juan José Rodriguez, do México.


No feminino, a prata de Beatriz Cardoso também foi histórica. É a primeira medalha do país na prova do single skiff em Jogos Pan-americanos. E a carioca alcançou este feito em sua estreia na competição continental.

“É uma sensação de dever cumprido, tudo faz sentido agora. É muito bom estar com essa medalha no peito. Essa medalha representa muita abdicação, muito trabalho e treinamento. É a primeira medalha do single skiff feminino, então é muito bom quebrar esse tabu. O gostinho do ouro ficou, mas é bom porque na próxima edição de Pan eu vou vir mais madura e preparada”, que também exaltou seu feito inédito para o remo feminino. “Essa medalha mostra que é possível. É importante para que no futuro outras mulheres venham e façam mais”, completou a carioca, que fez o tempo de 7min46s73 na final. A medalha de ouro foi para a mexicana Vanessa Lechuga e o bronze para Nicole Gonzalez, do Paraguai.
O Brasil disputou ainda outras três finais nesta quarta-feira. No duplo skiff, Tomas Levy e Piedro Xavier ficaram na quinta colocação. Na mesma prova feminina, Thalita Soares e Chloe Gorski ficaram em sexto. Já o barco oito com timoneiro misto terminou a prova em quinto.

Fotos: William Lucas/COB