sábado, 4 de novembro de 2023

PAN SANTIAGO 2023: Caio Bonfim e Viviane Lyra ficam com bronze em prova inédita do revezamento misto da marcha atlética

Caio Bonfim e Viviane Lyra ficam com bronze em prova inédita do revezamento misto da marcha atlética no Pan

O atletismo brasileiro garantiu a medalha de bronze na prova inédita do revezamento da marcha atlética nos Jogos Pan-americanos Santiago 2023, que fará sua estreia em Paris 2024. Neste sábado, 4, Caio Bonfim e Viviane Lyra completaram os 42,195km do circuito montado na Explanada do Campo de Marte em 3h02m14, atás somente dos equatorianos Brian Daniel Pintado e Glenda Morejón (2h56m49), e dos peruanos Kimberly García e Cesar Augusto Rodrigez (3h01m14).

“Fomos a única dupla em que os dois atletas disputaram os 20 km no domingo. Demos o nosso máximo. A Viviane teve adversárias fortíssimas e foi guerreira. É diferente conhecer uma prova que vai estar nos Jogos Olímpicos, a menos de um ano do evento. Brigar por medalha nas Américas, onde a marcha é muito forte, é excelente e nos anima para Paris", disse Caio.

Oito equipes participaram da maratona, que teve largada às 7h30, com os homens, debaixo de sol e temperatura em torno de 18 graus. O revezamento começou com a disputa masculina. Foram realizadas duas trocas durante a prova, que finalizou com o feminino. O Brasil ficou entre os primeiros do início ao fim.

No primeiro trecho, Caio manteve a liderança ao lado do equatoriano Bryan Pintado. Na metade do primeiro trecho, os dois abriram distância do resto do pelotão. O brasileiro entregou em primeiro lugar para Viviane Lyra. A brasileira tentou manter o ritmo da prova, mas acabou ultrapassada pela equatoriana Morejón e pela peruana Garcia, campeã mundial do Oregon-2022.

Na segunda troca, Caio recebeu com uma grande distância até o segundo e foi buscar a prata. O brasileiro conseguiu ultrapassar o peruano e entregou na última troca para Viviane em segundo lugar. A brasileira chegou a manter a posição por um tempo, mas acabou superada pela peruana no final.

“Tentei forçar a Kimberly a tomar a terceira punição, mas não deu. Foi muito legal competir junto com o Caio, que é o nosso maior ídolo na marcha. Agora é focar na próxima temporada. Rumo a Paris", disse Viviane, de 30 anos.

Esta foi a segunda medalha do Brasil na marcha atlética no Pan de Santiago. A primeira foi alcançada por Caio Bonfim, no dia 29 de outubro, nos 20 km, com aprata.

Foto: Alexandre Loureiro/COB