sábado, 4 de novembro de 2023

PAN SANTIAGO 2023: Darlan Romani confirma favoritismo, e Brasil leva mais quatro medalhas no atletismo

 Darlan Romani confirma favoritismo, e Brasil leva mais quatro medalhas no atletismo no Pan de Santiago 2023

As provas de atletismo desta sexta-feira, 3, no Estádio Nacional de Santiago, renderam ao Brasil mais quatro medalhas: dois ouros e duas pratas. Darlan Romani venceu a disputa do arremesso de peso. Marlene Santos conquistou o primeiro lugar nos 400m com barreiras após a desclassificação da panamenha Ursula Woodruff, que havia feito o melhor tempo. As pratas vieram com Matheus Lima nos 400m com barreiras e Almir dos Santos no salto triplo.

As disputas no atletismo seguem para o último dia, neste sábado, e devem aumentar ainda mais o somatório de medalhas do Brasil. Até o momento, já são sete ouros, oito pratas e três bronzes.

Ao anotar 21,36m diante de um estádio praticamente lotado, Darlan Romani confirmou seu favoritismo e se tornou bicampeão pan-americano no arremesso de peso, repetindo o feito em Lima 2019.

“Foi uma prova mais difícil hoje. Ela começou, parou e ficamos um tempo sem arremessar. O primeiro arremesso tinha sido muito bom, mas queimei, faz parte do jogo. Aí, consegui entrar na prova arremesso por arremesso e isso que é importante, saber que estamos no caminho certo. Parabéns, Chile! Muito obrigado por esse pan-americano", disse Darlan.

Marlene Santos deixou a pista comemorando muito uma prata. Porém, minutos depois, numa revisão dos jurados por vídeo, a atleta panamenha foi desclassificada por ter empurrado uma das barreiras, levando a brasileira ao topo do pódio nos 400m com barreiras.

“O objetivo agora é focar nas Olimpíadas. Estou trabalhando fortemente nisso e trabalhamos também para ter esse resultado no Pan. Quero agradecer a todos os brasileiros que acreditaram em mim e dizer que próximo ano tem mais”, afirmou Marlene.

Também nos 400m com barreiras, Matheus Lima comemorou bastante a medalha de prata.

“Quero agradecer ao COB, à Confederação Brasileira pela oportunidade magnífica de estar num estádio muito lindo, com esse público gigante, quero agradecer também ao meu treinador que não pode estar aqui. Cara, quando bati ali na penúltima barreira veio um filme na minha cabeça, e pensei: não posso deixar essa medalha escapar. Não posso! Aí, foi me dando mais energia e graças a deus deu tudo certo e fiquei com a medalha de prata”.

E fechando o dia, Almir dos Santos atingiu a marca de 16,92m e ficou com a prata no salto triplo, ficando atrás apenas do último campeão mundial, o cubano Lázaro Martínez.

“Eu sabia que esta seria uma prova de verdade, que ia está muito forte e realmente foi uma das mais fortes no Pan-americano, mas isso foi importante porque não é só a medalha, mas a briga e o resultado. Isso era o importante. Chegar aqui e desempenhar nosso trabalho. Os dois medalhistas do último mundial estavam aqui e consegui mostrar que estou no caminho certo”, destacou o atleta.

Foto: Alexandre Loureiro/COB